domingo, 2 de janeiro de 2011

O PREFERIR.

Uma vez seria filho
na outra seria trilho
do direito que afronta
ou do dever que oprime a tantos.

Outra vez era o passado
que no mundo causou enfado
e dobrou os homens todos
imaginando o futuro.

Já quiz eu ser de tudo,
pensei até em ser escudo
da própria imaginação
ou do que prefiro ser.

Prefiro viver assim
do início até o fim,
construtor de verso e prosa,
engenheiro da palavra.

Por RUI RICARDO RAMOS.

NOTA: Texto poetizado em 30.01.1992. Inédito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário