segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A VARANDA.

Varanda dos meus encontos
onde contigo vejo as estrêlas brincar
onde me olhas pelos cantos
como quem medo tem de amar.

Na fonte da juventude
juras de amor te dou
tu respondes com a quietude
de quem tudo acabou.

Eu queria nesta noite
sentir o gosto do sim
com um beijo de açoite
e um abraço sem fim.

Por RUI RICARDO RAMOS.

NOTA: Texto poetizado em 01.08.1986. Inédito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário