segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A LOUCURA.

Minha cabeça louca
disfaçada e coerente
de repente é algo
que eu não sei explicar.

Tiro idéias
faço planos
mudo planos
até nada fazer.

A sensação de andar em círculos
a vontade de agir sem fazer a ação
a certeza de trans formar o verbo
em nada mais do que nada.

Andar deitado
dormir andando
sonhar acordado
acordar chorando.

Sou louco
mas não sei como é ser
a loucura é assim, assintomática,
até que nos embriaguemos dela.

Por RUI RICARDO RAMOS.

NOTA: Texto poetizado em 05.05.1993. Inédito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário