quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O VETOR.

Vetor que sou
não me oriento
como os segmentos
em conjunto
e para o espaço
foi a equipolência
deixando a minha linearidade
combinada com os fragmentos
da base que construí.

Por RUI RICARDO RAMOS.

NOTA: Texto poetizado em 12.12.1991. Inédito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário