quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

O BARCO.

Se em ondas bravas
vive a navegar o barco,
quem poderá mudar seu rumo?
O que me dói
é saber estar neste barco,
incapaz de direcioná-lo,
sem nenhuma bússola
capaz de discernir os pólos.

Por RUI RICARDO RAMOS.

NOTA: O presente texto foi poetizado em 04.07.1991. Inédito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário