quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A PRAÇA.

Sentado aqui nessa praça,
vendo as pessoas que passam
                            sinto a brisa que,
terna, me abraça.
Necessários se fazem pensamentos,
que a cabeça me façam.
Prá não ouvir lamentos,
                            dos passáros,
ouço o canto,
                            das borboletas,
vejo o puso suave.
                            Saio da vida real
e dos versos fujo pro encanto
                             de ver, a eterna liberdade,
no simples vôo de uma ave ...

Por RUI RICARDO RAMOS.

NOTA: Texto poetizado em 1991. Inédito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário