quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

MUITO ALÉM DO JARDIM.

Amaram um louco
E, nas suas dissertações
Sobre como cuidar de plantas,
Tomaram-no com um sábio.

Deram-no por lúcido
Quando, na verdade,
Nem sabia que existia ...

Mas conquistou os grandes
E nos arredores dos mesmos
Impunha com singeleza
Os seus delírios de jardineiro,
Como forma de cura
Aos males sociais.

E andava pela vida,
"Muito além do jardim",
Como uma brisa
Que soprava nos corações.

Não tinha sentimentos,
Porém era causador
de risos e de lágrimas.
Era pobre,
Mas vivia como um fidalgo.

Não lia e nem escrevia,
Mas era visto como um poliglota.

Observava a vida,
Simplesmente,
Como a um programa televisivo
Que podia ser deixado de lado,
Quando bem lhe conviesse,
com apenas um toque
No botão do seu controle remoto.

Então, o que é a sabedoria,
Para os homens normais,
Senão a maior das debilidades?
Ou a loucura
Como a filosofia dos sensatos?

... Alguns podem até não concordar,
Entretanto,
"A vida é um estado de espírito!"

Por  RUI RICARDO RAMOS.

NOTA DO AUTOR: Texto poetizado em 02.10.1989. Inédito! "Muito Além do Jardim" é uma homenagem ao maior de todos os filmes, o filme dos filmes, o melhor entre os melhores. É um filme para ser analizado pelo coração e pelo espírito pois trata de sentimentos que são inexpressíveis em palavras. Complexidade de temática.

Um comentário:

  1. Rui:
    Li todos os seus trabalhos poéticos, com sentimento, com emoção. Adorei seus poemas mas este Muito Além do Jardim, superou todas as expctativas, sem desmerecer os demais que bem demonstram o talentoso poeta que é!Meus parabéns!
    Abraços do wandisley

    ResponderExcluir